bella torre 6
A+ B-
Publicada em 02 de Março de 2017
Foto:

Estado e Prefeitura de Curitiba vão revitalizar Bacia do Rio Belém



A governadora em exercício, Cida Borghetti, e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, firmaram o termo de cooperação técnica para recuperação da bacia hidrográfica do Rio Belém. O acordo prevê a formação de um grupo de trabalho formado pelas secretarias de Estado do Planejamento e Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Sanepar, secretarias municipais de Meio Ambiente e Obras Públicas e Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc). O GT Belém, nome instituí- do para o grupo de trabalho, deverá definir projetos e ações para a revitalização integrada da bacia que compreende 37 bairros e tem 42km² de extensão. A ideia é transformar o projeto em modelo de revitalização e gestão integrada e replicá-lo em outras bacias urbanas do país, por meio da Agência Nacional das Águas (ANA). “O plano irá rever a alocação de recursos e esforços para resolver de modo definitivo o problema identificado, no trecho ou sub-bacia que ele aparece, obtendo deste modo resultados positivos e concretos. Por isso é fundamental o envolvimento de todos os parceiros”, explicou a governadora em exercício. O termo de cooperação para recuperação da Bacia do Rio Belém é um projeto piloto do processo de revitalização da bacia do Rio Iguaçu, proposta que vem sendo discutida desde 2015, com a criação do Grupo Gestor do Rio Iguaçu (GGRI). Na época o Governo do Paraná firmou parceria com a ANA, e a empresa sul-coreana Korea Water Resources Corporation (KWater), responsável pela despoluição do rio Cheongyyecheon, localizado em Seul, com o objetivo de devolver a vida ao Rio Iguaçu, maior rio do Estado. “O modelo de gestão proposto foi planejado com base no programa de recuperação do rio Cheongyyecheon, que foi revitalizado pela K-Water, que oferece consultoria para devolvermos o Rio Belém para a população do Paraná com a qualidade que merece ter”, afirmou Cida. Ela destacou que a intenção da Agência Nacional das Águas é apresentar os resultados do projeto piloto no Fórum Mundial das Águas, que acontecerá em Brasília, em março de 2018. “Seremos um exemplo para o país”, acrescentou. O Rio Belém foi o escolhido para esta etapa do projeto por ser o único 100% urbano de Curitiba e o principal da bacia curitibana, com aproximadamente 17km de extensão. A baixa qualidade da água e diferentes níveis de ocupação urbana também contribuíram para a decisão do comitê gestor do grupo de revitalização do Rio Iguaçu, que é coordenado pela governadora em exercício Cida Borghetti. “A Prefeitura irá rastrear as ligações clandestinas de esgoto, em parceria com a Sanepar, para minimizar o impacto no Rio Belém, que faz parte da história da cidade e desenvolver ações de educação ambiental para evitar que novas contaminações aconteçam. A fiscalização será um trabalho conjunto do Grupo de Trabalho”, explicou o prefeito Rafael Greca, que disse também que a capital possui 9.500 ligações clandestinas. O prefeito garantiu que com a ação conjunta é possível “ressuscitar” o Rio Belém e com isso fortalecer o turismo regional. “Os parques que são banhados pelo Rio Belém terão mais aten- ção e cuidado da população”, disse. De acordo com a minuta do plano, as ações integradas serão baseadas em sete áreas temá- ticas: qualidade da água, quantidade da água, solo, ar, integra- ção com o homem, biodiversidade e gestão e a análise de efetividade será em conjunto com esgotos, drenagem, paisagismo, infraestrutura, habita- ção e uso do solo. O protocolo de intenções entre governos do Estado e do Município é valido por quatro anos, mas a expectativa do comitê gestor é ter resultados “satisfatórios” para o ano que vem. SAÚDE PÚBLICA Presente no evento, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, ressaltou que a qualidade das águas também é um problema de saúde pública, já que vetores de doenças conhecidas como o Aedes aegypti e roedores encontram o ambiente propício para se proliferarem às margens do rio. GGRI O Grupo Gestor do Rio Iguaçu (GGRI) foi criado pelo Decreto 1589/2015 e desde então promove ações para revitalização, despoluição e preserva- ção do Rio Iguaçu e seus afluentes. O objetivo geral é garantir água em qualidade e quantidade para a população e promover o desenvolvimento sustentável nos 109 municípios paranaenses que integram a bacia hidrográfica. Entre as ações estão a estruturação de um banco de dados do Iguaçu; a construção do Sistema de Informações Geográficas (SIG); a criação do Portal WEB-SIG; elaboração da análise estratégica quanto ao uso e ocupação do solo; elaboração dos cenários de qualidade e quantidade de água no Rio nos próximos 10, 20, 30 e 40 anos; a definição das diretrizes para conservação dos mananciais; avaliação da carga de poluição difusa que chega ao Iguaçu, em consequência de atividades agrí- colas e industriais e recupera- ção das bacias urbanas. PRESENÇAS Também participaram do evento o deputado estadual Marcio Nunes, o presidente do GGRI, Mario Celso Cunha, o secretário estadual de Planejamento, Cyllêneo Pessoa Pereira Junior; o secretário municipal de Meio Ambiente, Sergio Galante Tocchio, e o presidente do Ippuc, Reginaldo Luiz Reinert.



Mostra Comentarios